Presidente da Rio-Águas é o próximo a depor na CPI das Enchentes

O presidente da Fundação Instituto das Águas do Rio de Janeiro (Rio-Águas), Marcelo Jabre Rocha, prestará depoimento à CPI das Enchentes amanhã, quinta-feira (23/05), acompanhado de técnicos do órgão municipal. Fundada em 1998, a Rio-Águas é responsável por ações de prevenções e controle de enchentes, manejo de águas pluviais e saneamento da cidade.

Durante a sessão, os parlamentares irão questionar Rocha sobre o que está sendo feito para evitar novos desastres decorrentes de temporais, as reais necessidades do órgão, além de pedir esclarecimentos sobre a redução de seu orçamento. De acordo com técnicos do Tribunal de Contas do Município, a verba destinada à manutenção do sistema de drenagem vem diminuindo desde 2014.

Vereadores defendem que o Centro de Operações deve permanecer na Casa Civil

Na mesma sessão, os vereadores Tarcísio Motta, presidente da CPI, e Renato Cinco, relator, irão apresentar o projeto de decreto legislativo que foi protocolado por eles nesta quarta-feira (22/05) para impedir que o Centro de Operações do Rio (COR) deixe a Secretaria Municipal da Casa Civil e passe a ser subordinado à Secretaria Municipal de Ordem Pública.

Na avaliação dos vereadores, a mudança – decidida por decreto de Crivella do último dia 16 – pode deixar a cidade ainda mais vulnerável a tragédias. “A Casa Civil é a secretaria que tem mais condições para coordenar os diversos órgãos na hora de crise. Subordinar o COR à Ordem pública não faz o menor sentido, é temerário para a cidade”, disse Motta.

CPI das Enchentes
Quinta-feira, 23/5, 13h
Câmara Municipal do Rio de Janeiro